Máquina do Tempo

domingo, abril 30

CRUZAM-SE OS MUNDOS (DEDICADO A UMA PESSOA FASCINANTE, CRISTINA OLIVEIRA




Manhã do dia 8 maio do ano da graça de 1444, ao cabo de muitos e incontáveis dias de uma viagem que correu branda e bonançosa desde a Ponta de Sagres é avistada finalmente a Ilha...
-"Terra! Terra!" "Bem hajas Senhor D.Infante por nunca teres desanimado"....
-Esta é a terra do fim do Mundo... hi hi hi a Terra das portas do Inferno ! De verde pintada, com línguas de fogo e fumo... hi hi hi vai de retro Satanás! ...
-Acompanhei esvoaçante bem lá do alto seguindo o rumo ... proa à terra no passar de cada vaga pela quilha desta Caravela, nesta viagem para o futuro.
-Além... de forma alongada, entre aquilo que me parecem ser dois montes de elevado recorte... Ah, esta neblina confunde-me... Mas parece ser... É a Ilha!?.... É a Ilhaaaaa... E hoje é dia do Arcanjo São Miguel.
Já se avistava a sombra do arvoredo e a fita prateada das ribeiras, cujo sussurro se adivinhava... Era de assombro e encantamento essa visão bendita.
O ferro estava pronto a largar, nas águas que inspiravam confiança. E quando já se via terra a dois tiros de besta, a Caravela manobrou aproando ao vento e largando o ferro. Carregado o pano, lançado ao mar uma das embarcações, desembarcou por fim, no meio de duas ribeiras que desciam rápidas por entre penedias e terras altas, num edílio de sombras e de frescura... "A primeira Alma de muitas que se seguiram em outros desembarques".
Improvisado o altar, colocada a cruz, a Hóstia elevou-se e a benção desceu das mãos do sacerdote, igual para todos, em hora luminosa com fundos de paisagem exuberante.
Por vezes a terra tremia convulsamente e ouviam-se rugidos subterrâneos que se sucediam e prolongavam ameaçadores. Para os lados de poente, surgiam chamas alteadas entre novelos de cinza espessa que escureciam o horizonte. Grandes massa informes, numa ilusão de leveza, desprendiam-se dos cabeços e rolavam pelos declives, desconjuntando-se fumegantes.
Através da Bula Romanus Pontifex é concedida ao Rei Dom Afonso a plena e livre faculdade, entre outras, de conquistar, subjugar a quaisqueres Sarracenos e pagãos, inimigos de Cristo, suas terras e bens, a todos reduzir à servidão e tudo praticar em utilidade própria e dos seus descendentes.
Foi ao abrigo desta Santa Visão que foram arrancados à força casais que eram enviados para o Brasil a fim de o colonizarem.
Através dos séculos pessoas da mesma origem viveram em continentes separados.
Ontém, dia 29 de Maio, dia da graça de 2006, duas pessoas uma na Ilha de São Miguel "Maria" e outra no Brasil "Cristina", trocavam anseios, impressões, discutiam conhecimentos "Cruzavam-se os Mundos" nesta viagem para o futuro, esta duas pessoas juntas num denominador comum, a preservação do Planeta e a união dos Povos, foi muito bonito ver as duas usarem a mais alta tecnologia para o fazerem, fêz-me pensar que a amizade não tem a distância como fronteira e que pequenos gestos podem mudar muita coisa, juntos tão longe, mas tão perto...

Texto de Armando Moreira (excertos da Reconstituição Histórica 400 Anos Depois da Primeira Alma)

quinta-feira, abril 27

CAMPANHAS

















Cartoon daqui

Fui convocado por este senhor: Soslayo
Há a fome dos outros. A fome de poder. A fome da leviandade. A fome da inércia. A fome de vida. A nossa fome. - Mãe tenho fome!- Poderás ter vontade de comer. Fome… duvido.- Pronto, está bem, tenho vontade de comer. Mas é uma frase mais longa.- Mas é a frase correcta. Jamais confundas fome, com vontade de comer.

Foi através daqui, da ONE, que começou este pequeno gesto de solidariedade para com os povos mais desfavorecidos. E foi através desta Senhora, de nome Maria Árvore, a quem roubei esta frase, que vos dou a ler o seguinte:"Banco Alimentar Contra a Fome", que todos os dias ajuda a colmatar a pobreza e a fome em Portugal e que já a 6 e 7 de Maio próximo estará num supermercado próximo de si, ou então, a APAV – Associação de Apoio à Vítima por apoiar as vítimas de todos os tipos de crimes .Já agora, que não custa nada, passem por aqui se faz favor, e apoiem a velhinha UNICEF, que continua muito coerente com os seus princípios básicos. Ela agradece.Obrigado!

Seguem as cordas para:

quarta-feira, abril 26

ABREM OS OLHOS DE ESPANTO


Três da manhã do dia nove de Abril, vozes, sons de chuva e vento ao longe, difusos sons, crepitar de lenha ... e este som de batidas que marcam o compasso da minha frágil vida, aceleram ... gritos abafados de uma voz que conheço, e que me acalma, mas... agora é como se cada grito me empurre para fora daquele espaço onde me sinto seguro e quente ... novamente as mesmas forças impelem-me de encontro a nada ... a mesma voz que me é tão agradável soluça ... meu Deus, faça com que nasça ... já não aguentooooo... o meu sofrimento e o daquela voz amiga tornavam-se insuportáveis, a força que me empurrava aumentou, gritei "meu Deus abre-me uma porta do teu coração", sinto uma pressão enorme na minha cabeça, duas mãos envolvem-na, deslizo para ... abrem-se-me os olhos de espanto, imagens desfocadas iluminadas pelo bruxulear de velas movimentam-se à minha volta, vozes ... "que coisa de linda, tão benfeitinho, parece um anjo" ... sinto frio, carregam-me pelo ar, e a voz amiga tranquiliza-me, "meu querido filho, nasceste no meio de tantos problemas"...tento falar, perguntar... mas a minha voz, transforma-se em simples vagido ... deixem-me ver este pequeno, ordenou a mulher que me ajudou a deslizar para este Mundo ... segurou-me em seu colo e olhando-me com ar de estranho espanto disse: "Onde vieste parar!?... com tanto problema há tua volta só podes ser uma benção de Nosso Senhor, e ainda por cima choraste antes de nascer, isto só acontece aos eleitos do Senhor, hás-de ser um grande homem, vais fazer coisas maravilhos nesta vida onde espalharás o perfume do Céu"... deixa-te desses disparates Diolinda, este pequeno há-de ser o que Deus quiser... adormeci...
Acordei hoje com o chilrreado dos pássaros no embalo da Primavera, brilhava o Sol, olhei para o Mundo ... não gosto do que vejo!... vivo no meio de tantos problemas.

domingo, abril 23

ASSOMBROS

A reportagem




clicar sobre a imagem para ver o vídeo

sexta-feira, abril 21


Senhor. Vamos ter que ir embora!
Prá onde?
Para terra. O mar vai ficar ruim!
Ruim? Homem isto está um espelho, parece mar de azeite.
Parece não é? Mas daqui a bocado vai ficar bravo. O senhor vai ver. Ainda estamos longe e vamos apanhar pancadaria. Olhe para alí.
Não vejo nada. Só nuvens e não são de chuva.
Não vê nada porque não está habituado.Veja por cima daquelas nuvens lá ao longe, Não vê uma redonda?
Acho que sim. ( mas não via nada e fiquei à espera)


Este diálogo tive-o com um mestre pescador do Faial, há quase 15 anos. Uma reportagem sobre pesca artesanal levou-me a 35 milhas de distancia. Esse dia não vou mais esquecer. Nem eu nem o operador de TV que me acompanhava.
Soltaram-se todos os demónios.
Mesmo habituado às tempestades no mar, achei que aquela era suprema, demasiada para aquele barco e para mim, talvez até para o mestre.
O que teria visto aquele homem naquelas nuvens, que de lá longe escondiam o Pico?

Entregue por mão amiga, chega-me esta fotografia, cuja autoria desconheço.
Foi isto que ele viu, o “capelo” do Pico, prenúncio de tempestade.
Ainda bem que o viu.

Nota: Este fenómeno tem vindo a ser estudado pela NASA e pela National Geographic, mas até à data, prevaleçe.apenas a sabedoria empírica dos bravos marinheiros do Canal.

Fernando

quarta-feira, abril 19

AS BRUXAS MOSTRAM O ROSTO


As Bruxas têm rosto?... há quem diga que têm muitos, têm vassoura para voarem?... não! computador e navegam na blogoesfera, saltam de janela em janela, cativam com coisas tolas, arrebanham imbecis e em sortilégio lá os convencem que são Deusas. São ladras, roubam as almas, as fotos os textos, as vontades, as palavras não ditas, as idéias verdadeiras uuuf... chamem a Polícia, fechem estas Aves Negras em masmorras...
Ah, mas há também os maridos das Bruxas, os bruxinhos, os irmãozinhos, que normalmente são amaneirados e têm um profundo ódio pelo Ser Humano, raivosos cães escondidos atrás de um sorriso amarelo de três dentes, sim apenas três com que mordem à esquina todos aqueles que possam ter algum valor e lhes lembram que são o lado negro do ser Humano...Pois é a vida no seu mais desagradável sentido ou vidas de alguns negromantes.
Vem tudo isto a propósito de uma Bruxa que conheci à alguns anos atrás ali para os lados da Fajã de Cima...a idéia era recolher informação para escrever uma peça de Teatro Revista... entramos e a dita Senhora depois de enfadonhas mesuras e prolongados bocejos olhou para mim e disse lá do alto da sua sabedoria mediúnica... o Senhor está cheio de mau olhado, cheio de quebrante, é uma pessoa muito invejada, tem que ter muito cuidado porque as bruxas sentem uma grande atracção por si ... credo, ainda se fossem umas pequenas jeitosas, agora Bruxas!?... é sim Senhor e tenha muito cuidado com aquelas que têm várias caras... explique-me lá isso melhor... quando alguem lhe disser Haja o que Houver..., acredite que é verdade, é exactamente quando o encanto delas se vira ao contrário e são elas que ficam presas aos seus encantos...mas a Senhora está-me a dizer que eu também sou bruxo???... tal e qual o Senhor pode não saber mas quando entrou eu até me arrepiei toda, e o senhor pode ter a certeza que eu conheço um Bruxo à distância...boa, venho para uma consulta e saio daqui empossado feiticeiro, boa noite minha Senhora...boa noite não se esqueça de deixar um dinheirinho para comprar um baralho de cartas novo...e cuidado obrigue-lhes a mostrar o rosto.

sábado, abril 15

"APESAR DE TUDO O MUNDO É BONITO"

Este post, é dedicado ao DESAMBIENTADO
Anoiteceu nos lagos,
Caí a noite sobre a Ilha.
Luzeiros na cumeeira,
Hortências ganham vida.

Amantes ditosos são,
Flores plantadas na erva,
Nascem vezes, muitas,
Eternos como a natureza.

Bruma na cumeeira,
Óh manto de tristeza,
Reflectida na lagoa,
Mistério magia e beleza.

Mil pedaços de espelho,
Dispersos os sonhos perdidos,
Reflectem amor desenganos,
Um rumor assalta os sentidos.
Tens o destino da água,
A terra na tua mão,
Teu corpo é o verde Ilha,
Nos teus olhos a paixão.

Céus e terra fundidos,
Águas desenfreadas,
Nos teus olhos moram,
Constelações destroçadas.
Uma canção de bonança,
No embalo do vento,
Cegos de amor estavam,
Presos aos lagos ficaram.

O tear da noite tece,
Gira a roda da vida,
Chovem promessas aos lagos,
De sonho e fantasia.

E na viagem dos sonhos,
Voam nas águas do tempo,
Cumprem o seu destino,
Em cada noite, no lago.

Óh lagos de fogo e luz,
De cor verde e azul, noite,
Do céu caíem tuas águas,
Em lágrimas de diamante.


Quem atirou ao vento,
Mágoas e dores tamanhas,
Apenas ouvirá da brisa,
Murmúrios, vagas lembranças.

Sete ventos de tormenta,
Sete ventos de saudade,
Sete vezes chorei por ti,
Ilha das Sete Cidades.

quinta-feira, abril 13

ESCUTA O RUMOR DO VENTO









No passar da madrugada
Dissipa-se o nevoeiro
Nesta ilha encantada
Derramada em meu peito

Acalma-se o vento é manhã
Chilrreiam os pássaros em alegria
Sacodem gotas de orvalho
Das penas, nasceu o dia

Chocalhos, gritos, latidos
Desperta a vida, reina a vida
Do seio da ilha corre
Orvalho e nostalgia

Ó ilha de encantamento
De feitiço, da lenda viva
Escuta o rumor do vento
Descobre em ti a magia

E é nesta ilha que sonho
Transformo a dor em cor
Largo esperanças ao mar
Uma hortencia azul...

...É apenas uma flor...





terça-feira, abril 11

Despedida

(Ao meu querido tio, o Padre Agnelo Soares)


















A lágrima que cai
não traz melodia.
Não se ouve, cai surda.
Cai no coração de quem fica...
O Choro constante,
o peito apertado,
as mãos juntas que teimam em te abraçar,
provam angústia, pesados suspiros...

Dor que grita,
que não canta.
Voz que não sussurra docemente,
garganta que geme,
massacra, impune
que dobra as notas em síncopas sem tom.

A música que soa
não toca mais.
Acabou...
Harmonia incompleta,
som imperfeito,
vazio que é o tudo,
busca desinibida, irrequieta, incessante,
Sonho embalado da vida...

Assim somos

Assim és

Assim foste...

domingo, abril 9

PARABÉNS

Parabéns Armando, mais um elemento da Máquina do Tempo em dia de aniversário. Armando Moreira, responsável pelos textos, encenação e mais algumas coisas, no fundo é o pai de práticamente todas as peças da Máquina, ele sonha, ele escreve, cria as condições para as levarmos em frente, ele encena, enfim... Sendo do signo do carneiro diz a astrologia que as pessoas do signo do carneiro são de uma personalidade dinâmica, puramente energética em que a maior dificuldade conhecida se situa na incapacidade para parar ou diminuir o ritmo, verdade, verdadinha.

No entanto continuo a achar que estas são as melhores obras tua vida, os teus filhos.

Continua a sonhar porque tem valido a pena acompanhar-te em teus sonhos, tem-me feito crescer de uma forma diferente e tens-me ensinado a sonhar... Que este dia te traga tudo o que desejas.

sexta-feira, abril 7

O SORRISO DA LUA


Lá no alto um pontinho dança,
Faz desenhos de magia
O bailado fica estranho
A Lua tem a alma ferida

A Lua é feiticeira
Dança nua de palavras
É Wicca sem dom e rumo
Bobo triste, gargalhadas

Triste assombro a tua vida
Refletes a inconstância
Quatro faces, uma cinica
Outras tres, que importância?

Dás, apenas a ti mesma
Vestida de tola vaidade
Véu e grinalda, mentira
Noiva impura de castidade

Silêncio não vale palavras
Palavras nos olhos, verdade
Sorriso de engano, convém
De todos sente saudade

Todos, sou de todos
Basta olhar minhas tolices
Tenho o dom de enganar
Quem confia em diabrices

Mudo a face todos os dias
Mudo o nome apenas isso
Continuo a ser a mesma
Falsa, Lua com um sorriso

quarta-feira, abril 5

Nevoeiro

"...desci veloz do alto das cumeeiras..."
"...cubro tudo, tudo..."
"...com o meu manto de fina água..."
"...dentro de mim carrego dores de amores perdidos..."(Sandra no seu melhor)

O nevoeiro suspende-lhe a vida
como dois belos seios diante dos olhos,
humidade tão contrária à chuva,
aos dias em que se procura abrigo
ainda que seja numa mentira ou no passado.
Este branco que o impede de ver,
como se não fosse possível
morrer ou continuar vivo,
mais forte do que a sua moral,
há-de atrasá-lo para o seu destino.

segunda-feira, abril 3

CINCO ANOS DE INTERREGNO "ASSOMBROS" ESPERO-OS A TODOS NO CENTRO CULTURAL DE PONTA DELGADA NO DIA 10 / 04 / 06



(ASSOMBROS)
Às vezes, pequenos grandes terremotos
ocorrem do lado esquerdo do meu peito
Fora não se dão conta os desatentos.
Entre a aorta e as costelas
há vários esmagamentos.
Os mais intímos
já me viram remexendo escombros
Em mim há algo imóvel e soterrado
em permanente assombro
E é de assombro o sentimento
Que transforma a dor em cor
Em loucos pensamentos construo
Forma de despretencioso resplendor
Uma Ilha, um ninho
Inquietação constante
A paz, tão pouca
Assombros de louco amante
E amantes rodopiam
Pintam na tela paixões
Atiram ao vento promessas
Tantas contradições
No peito do Pintor
Grita a dúvida incontida
Na noite ensombrada
Que cor dá luz ao dia
Mil e muitas mais
Paleta de emoções
Jogo de alquímia
Duas cores, uma forma
Feitiço constrói milhões
Não contas, não és
Não dizes, sonhas
Porque pintas Anjos negros
E outras formas bisonhas
Uma tela
Um dia
Uma paixão
Loucura
Contradição
Assombros
Alma, coração
E o vento cresce
Também a emoção
Nasce a obra, fica a obra
Partes, deixas a paixão
Para onde?
Ninguém tem a certeza
Há quem diga para o céu
Pintar Anjos com a cor certa
"Dedico este texto aos que acreditam em mim"