Máquina do Tempo

terça-feira, março 14

"O PARAÍSO É SER-SE PERFEITO"

"Para a maior parte das gaivotas, o que importa não é saber voar, mas comer. Para esta gaivota, no entanto, o mais importante não era comer, mas voar. Mais que tudo, Fernão Capelo Gaivota adorava voar."

"Estava vivo, trémulo de prazer, orgulhoso de ter dominado o medo. Então, sem cerimónia, uniu as asas anteriores, abriu as asas curtas colocando-as em ângulo, e mergulhou em direcção ao mar."

"Em vez de andar de um lado para o outro à procura de peixe junto dos barcos, temos uma razão para viver! Podemos sair da ignorância, podemos ser criaturas perfeitas, inteligentes e hábeis. Podemos ser livres! Podemos aprender a voar!"

"As duas gaivotas que surgiram diante dele eram puras como a luz das estrelas, e o seu brilho era leve e afável. Mas a coisa mais maravilhosa nelas era a perícia com que voavam, as pontas das asas movendo-se a centímetros das suas.
As duas aves resplandescentes, abrandaram também colocando-se em posição. Sabiam voar devagar."

"A única resposta que encontro, Fernão, é que tu és um pássaro num milhão. A maior parte de nós percorremos um longo caminho. Fomos de um mundo para outro que era quase igual ao primeiro, sem nos preocuparmos com o destino, vivendo o momento. Fazes alguma ideia de quantas vidas teremos de viver antes de compreendermos que há coisas mais importantes do que comer, lutar ou disputar o poder no Bando? Mil vidas, Fernão, dez mil vidas! E, depois, mais cem vidas vidas até começarmos a aprender que a perfeição existe, e outras cem para constatar que o nosso objectivo na vida é conseguir a perfeição e pô-la em prática."

"- Não, Fernão, o paraíso não existe. O paraíso não é um lugar, nem um tempo. O paraíso é ser-se perfeito."

"As gaivotas lá de onde vieste estão poisadas no chão, gritando e lutando umas com as outras. Encontram-se a mil e quinhentos quilómetros do paraíso, e, tu, ainda dizes que lhes queres mostrar o paraíso! Fernão, elas nem sequer conseguem enxergar as pontas das suas próprias asas!"

"Todo o vosso corpo, desde a ponta de uma asa, até à ponta de outra asa - costumava dizer Fernão - , não é mais do que o vosso próprio pensamento, numa forma que podem ver. Quebrem as correntes do pensamento e conseguirão quebrar as correntes do corpo..."

"- Não entendes-te. A minha asa. Não consigo movê-la.

- Virgilio Gaivota, tu tens a liberdade de ser tu próprio, o teu verdadeiro eu, Aqui e Agora; nada se pode interpor no teu caminho. Essa é a lei da Grande Gaivota, a Lei que É.

- Queres dizer que posso voar?

- Quero dizer que és livre."

"- ... O único Filho da Grande Gaivota, não é? - Fernão suspirou e olhou para o mar. - Já não precisas de mim. Precisas de continuar a descobrir-te, um pouco mais cada dia, o verdadeiro e ilimitado Francisco Gaivota. Precisas de o compreender e de o treinar. Passados momentos, o corpo de Fernão tremeu no ar, brilhando, e começou a ficar transparente."

Pequenos excertos do livro Fernão Capelo Gaivota de Richard Bach, a ilustrar um autêntico bailado de gaivotas a que assisti esta tarde.

Este post é dedicado a uma gaivota que nunca deixou de sonhar...

22 Comments:

Blogger Zuca said...

Maria, absolutamente lindo. As fotos estão magnificas e o poema dá vidas a elas. Eu adoro gaivotas, penso que sou um pouco como elas, adoro voar e viajar é pena não ter asas que me possam levar pelo mundo.

Beijinhos
Ruy

3/15/2006 9:38 da manhã  
Blogger MDeus said...

Pois é Rui, eu também gostava... e da maneira que gosto de andar de avião???? Obrigado pelas palavras, foi um momento mágico observar estas aves, elas são fantásticas.
Beijinhos

3/15/2006 10:07 da manhã  
Blogger LRocha said...

Parabéns Maria pelas fotos e por teres trazido à colação excertos do magnífico e imtemporal Fernão Capelo Gaivota! Já o Papillon dizia que mesmo na prisão ele se sentia um Homem livre. A liberdade é um estado de espírito que existe para além da matéria. Aqui fico a contemplar as fotos enquanto aguardo pelo dito chá verde. Um beijinho

3/15/2006 10:17 da manhã  
Blogger MDeus said...

Luís antes do chá verde vêm ainda os ovos recheados, porque pelo chá acho que vamos esperar mais um pouco, estas tuas ausências de fim de semana.... Beijinhos

3/15/2006 10:20 da manhã  
Anonymous soslayo said...

MDeus, o perfeito atingíu-se com a mescla deste texto com a excelência de fotos que se encaixam uma na outra. Beijinhos

3/15/2006 11:09 da manhã  
Blogger Armando Moreira said...

Fantástico Maria,,,adorei. aqui de Lisboa um beijinho para ti...
Amoreira

3/15/2006 11:28 da manhã  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Engraçado...
Ao abrir a janela para o post, lembrei-me de imediato que meu filho me chama de gaivota e diz que tenho a gargalhada igualzinha aos granidos delas. Ele tem razão, mas eu não digo isso a ele!!!

O post está lindo e elas voam com maestria.
Eu adoro voar. Quando saí de São Paulo e fui viver no Rio Grande do Sul, fui para uma cidadezinha que é considerada o primeiro centro nacional de vôo à vela e lá, aprendi a voar. Voei muito em planadores e pequenos aviões motorizados. Quando vim para a ilha, salvo algumas vezes que brinquei no ar, passei para a vela no mar e velejei por toda a costa. Sou do ar, tanto quanto sou do mar e das fanáticas, com direito a carteirnhas!!!
Hoje me perco mesmo é a olhar os dois lados dos infinitos opostos - o aquoso e o gasoso - de um outro lugar...

Beijos de bom dia!!!
ò,ó

3/15/2006 11:33 da manhã  
Blogger MDeus said...

Armando boa viagem para o teu regresso... Luís!! acalma o vento...
Beijinhos

3/15/2006 12:21 da tarde  
Blogger MDeus said...

Cristina bom dia! Bêm se vê que és uma mulher destemida...eu com muita pena minha, tive sempre um grande respeito...a puxar para o medo, tanto do mar, como do ar, de modo que limito-me a olhá-los deixando-me encantar pelos movimentos que eles nos proporcionam.

Beijos e um bom dia para ti também!!
:)

3/15/2006 12:26 da tarde  
Blogger Teresa Rebelo said...

Tinha de comentar este texto, pois é um excelente momento de reflexão sobre os desafios da vida...e eu que vivo mais a "voar" do que a "andar" hihi, quantas vezes me chamam para terra... " Ah, se uma gaivota viesse trazer-me o céu...num desenho que eu fizesse..."
Vou ter de "aterrar" agora e voltar ao trabalho.
Um ABRAÇO e Bom Trabalho para todos.
Teresa Rebelo

3/15/2006 1:54 da tarde  
Blogger MDeus said...

Tens e deves comentar muitas mais vezes, e ainda postares. Bem bom que gostaste, não foi a pensar no teu vôo constante, mas adapta-se.
Teresa todos nós voamos e sonhamos, uns menos que outros, é assim que procuramos um caminho...
Beijinhos

3/15/2006 2:12 da tarde  
Blogger Desambientado said...

Vim ver e dizer-te que sim, tens razão.

3/15/2006 2:14 da tarde  
Blogger LRocha said...

Vou procurar transformar esta tempestade numa "leve brisa" para que amanhã o avião do Armando venha nas minhas asas tranquilamente. Já agora, porque é que teremos de esperar muito pelo chá? Não te esqueças que o objectivo da chávena foi proporcionar uma tertúlia sobre a alma e a sua intemporalidade. Em qualquer sítio e em qualquer momento o podemos fazer. Se estás à espera da minha disponibilidade num fim de semana...bem podes esperar sentada!

3/15/2006 3:10 da tarde  
Blogger MDeus said...

Isso sei eu meu lindo, por isso o disse, é que durante a semana é sempre mais complicado...mas não impossível. Para a semana com o Armando cá se calhar marcávamos isso para 5ª feira, vamos aceitar inscrições para essa tertúlia.
Beijinhos Luís e até amanhã.

3/15/2006 3:14 da tarde  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Eu confesso que stou cá roidinha de uma inveja saudável dessa tertúlia sobre a alma e a intemporalidade dela, regada a chás...

Vou agora para uma reunião das bem chatas!!! Obrigada por me desanuviarem...

Beijos!!!
ò,ó

3/15/2006 4:15 da tarde  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Bom Dia!!!

Abra os olhos e sorria!!!


Não sou perfeita e talvez por essa mesma razão, não busco o paraíso, mas estou longe do lugar comum, felizmente. Afinal, como dizem os que me conhecem, não sou 'normal', mas isso pouco importa... Talvez minha marca esteja mesmo no fato de eu ser um tantinho diferente...

Hoje acordei com a corda toda!!!
Passei somente para desejar um bom dia e já espichei a conversa, me debruçando pelo parapeito da janela...

Beijinhos a todos!!!
ò,ó

3/16/2006 9:42 da manhã  
Blogger MDeus said...

Bom dia Cristina, espero que a tua reunião de ontem não tenha sido daquelas mesmo, mesmo chatas!! Todos no fundo tentamos buscar a perfeição e nunca a encontramos, por isso o paraíso não existe, não passa de uma utopia...
O que é ser-se normal??? Existe alguma definição??? Somos todos iguais e todos diferentes, todos normais e todos com um pouquinho de loucura, como costumo dizer uma pitadinha para temperar, senão ficamos todos como uma tulipa enfiada numa jarra como diz o Desambientado, e olha há tanta gente enjarrada!!!!

Um bom dia para ti também e vai voltando.

:)

3/16/2006 10:37 da manhã  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Enjarrada é mesmo muito bom MDeus!!! Gostei do teu comentário!!!

A reunião foi produtiva e com muitas imagens o que me facilita bastante a vida, no sentido de suportar esses eventos. Na verdade não são as reuniões que são chatas e sim, eu que apenas entendo tratar-se de um mal necessário, mas por fezes, nada satisfatório.

Postei hoje e queria ter tido tempo para apnhar algumas fotos de voces, de algum espetáculo, mas estou sem a minha caixinha mágica que contém especiarias para muitos entendimentos e ainda assim, me vali do que deu. Não ficou dos melhores, porém acredito que dará para se fazer entender. Acho...

Beijinhos e se puderem, passem por lá para deixarem a leitura teatral da Arte e da importância dela na história da humanidade e da filosofia pensante...

Beijos!!!
ò,ó

3/16/2006 3:54 da tarde  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

MDeus...

Desculpas por te me excedido nos comentários... Bem já deves saber que me divirto brincando com os trocadilhos das letras, sentidos das palavras e sonoridade delas...

~<];o(

ò,ó

3/16/2006 3:59 da tarde  
Blogger Paulo J. Ribeiro said...

Voar... Liberdade...

3/16/2006 8:54 da tarde  
Blogger MDeus said...

Cristina, já te fui fazer uma visita e deixei lá o meu comentário. Tu divertes-te e eu aprendo divertida com os teu trocadilhos minha amiga, está à vontade.

Beijinhis

:)

3/17/2006 10:35 da manhã  
Blogger marisa said...

"O PARAÍSO É SER-SE PERFEITO"??
Vendo por esta prespectiva, entao nunca ninguem alcançará o paraíso pois ninguem é perfeito, nao é??

4/01/2006 1:43 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home