Máquina do Tempo

quinta-feira, março 23

HÁ MULHERES QUE TÊM PATA COM O DIABO (FEITICEIRAS??)

Eram sete da noite, os sinos tinham acabado de tocar trindades, toques aflitivos à nossa porta da rua do castelo...srª Maria, eh srª Maria, a senhora pode chegar num instante à nossa casa?!...então rapariga a tua mãe piorou? eu não lhe posso fazer nada, ela devia ter ido para o lazaredo onde vão os tuberculosos...a minha Mãe Maria da Conceição, era uma pessoa que acudia a todas as desgraças que acontecíam às vizinhas, escrevia e lia-lhes as cartas, era uma pessoa letrada, como se dizia na altura...anda daí Armando, não te vou deixar sózinho em casa...tinha eu seis anos, e lá fui eu de arrasto pela mão da minha Mãe na confusão de quem começa a querer entender em que mundo tinha vindo parar...chegamos, era uma casa pobre, um quarto apenas albergava uma família de sete almas, numa cama de folha de milho contorcia-se a Maria do Carmo...entre uma tosse medonha, balbuciava uma lengalenga...quem pega que eu largo...quem pega que eu largo, eh srª Maria a gente não sabe o que há-de fazer, ela está nisso há horas...quem pega que eu largo...quem pega que eu largo, ai, ai eu sempre soube que esta mulher tinha pacto com o mafarrico...a situação era de pôr os cabelos em pé, ainda mais dentro daquele quarto mal iluminado por um candeeiro a petróleo...eh srª, Maria, faça qualquer coisa pela alma de quem lhe é mais sagrado!! o que aconteceu a seguir ficou-me guardado para toda a vida...minha mãe, pediu um objecto, deram-lhe um pequeno cântaro de barro moldado e cozido nas olarias da Vila, rezou um credo, com o cântaro junto ao peito e entregou-o à Maria do Carmo, o jarro, auto contínuo saltou-lhe das mãos e ganhou vida, batendo em todos os cantos do quarto e partindo-se em pedaços...Maria do Carmo exalou um último suspiro e finou-se.
Ai querido filho se soubesse não te tinha trazido comigo...feiticeiras, esta Vila está cheia delas...
Treze Luas de prata cada ano tem,
e treze são os Covens Também,
Treze vezes dançar nos Esbaths com alegria,
para saudar a cada precioso ano e dia.
De um século a outro persiste o poder,
Que através das eras é levado,
Transmitido sempre entre homem e mulher,
desde o principio de todo o passado.
A Wicca ( Bruxaria) tem suas origens na cultura Celta, que predominou na Europa milhares de anos antes do Império de Roma, WICCA era uma sacerdotisa, com os seu encantos garantia a abundância nas colheitas.
BRIDA é a história real de uma das mais jovens Mestras da Tradição das Feiticeiras, e como curiosidade as bruxas adoptam para si nomes com apenas cinco letras...mas quantas Wiccas e Bridas andam por aí, lançando sortilégios e enganos, nas noites de Lua Cheia? ou será em pleno dia????
Foto de autor desconhecido.

11 Comments:

Blogger MDeus said...

Em pleno dia Armando, em pleno dia...O post está muito bom, eu já conhecia a história, uma das muitas que me tens contado ao longo da nossa vida, as histórias contadas por ti transportam-nos no tempo e no espaço para o local, sentimo-las...e esta veio bem a propósito. Que engraçado Wicca faz-me lembrar algo...é-me familiar este nome...mas bem, não importa agora, deste o mote para o chá verde de logo à noite, meninos não esquecer depois do ensaio, chá verde com biscoitinhos, ah o Espirito do Lagoa Azul disse que fazia um bolo!! Ó Espirito Azul clarinho já está feito o bolo???

Beijinhos,

:):)

3/23/2006 12:22 da tarde  
Blogger Zuca said...

Armando, gostei imenso deste post, penso que deve ter sido um pouco aterrador para uma criança na sua idade. Já agora deixo-lhe aqui mais umas informações de cultura geral.
A Bruxaria, designa as pretensas faculdades sobrenaturais de uma pessoa, que geralmente se utiliza de ritos mágicos, com intenção maligna - a magia negra - ou com intenção benigna - a magia branca. É também utilizada como sinónimo de curandeirismo e prática oracular, bem como um sinónimo de feitiçaria.
Feiticeiro seria aquele que realiza feitiços, seja ele bruxo ou não, e feitiço, o género de magia cujo objectivo é interferir no estado mental, "astral", físico e/ou na percepção que outra pessoa tem da realidade. A magia, por sua vez, é vista como uso de forças, entidades e/ou "energias" não pertencentes ao plano físico para nele interferir.
As posturas tradicionais começaram a mudar perto do fim da Idade Média. Pouco depois de 1300, na Europa Central, começaram a surgir rumores e pânico acerca de conspirações malignas que estariam tentando destruir os reinos cristãos através de magia e envenenamento. Falava-se de conspirações por parte dos muçulmanos e de associações entre judeus e leprosos ou judeus e bruxas. Depois da enorme devastação decorrente da peste negra (que vitimou 1/3 da população Europeia) esses rumores aumentaram e passaram a focar mais em supostas bruxas e "propagadores de praga".
Isto levou a que o Papa, declarasse “guerra” ás bruxas e a todos aqueles que estivessem envolvidos em actos menos ilícitos, tendo para tal, escrito o livro Malleus Maleficarum, para os inquisidores, tornando-se numa espécie de Bíblia da caça às bruxas.
Também é de referir, que muitas doenças do foro Psicológicos (Epilepsia, Psicoses, etc….) eram encaradas como possessões demoníacas, sendo que a única forma de as remover era a Fogueira, que viria a receber o nome de Santa Inquisição.

Um abraço
Ruy

3/23/2006 12:37 da tarde  
Blogger vero said...

Olá,
venho agradecer e retribuir a visita k fez ao meu blog...
É sempre bem vindo, quanto ao seu último post, muito interessante sem dúvida!
Beijinhos***
:)))

3/23/2006 2:20 da tarde  
Anonymous espírito azul said...

Maria,o bolo já está pronro e a dizer "comei-me".
Até logo.Bj*

3/23/2006 3:05 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Homenagem a todas as Mulheres com M Grande.
Temos mil e um nome e mais um, que importa!
Só porque vivemos em comunhão com o Universo!
Porque utilizamos mais o lado emocional!
Choramos pelo pai, pela mãe, pelo irmão, pelo filho, pelo vizinho, pela Humanidade, aproximando-nos mais com o invisível.
Poderá alguém, quer em noites de luar ou dia"... tentar possuir uma flor..." concerteza que não! "...verá a sua beleza murchar...", o verdadeiro não perece, vive para a eternidade.
Sou Lua feiticeira, nua!

Lua

3/23/2006 3:40 da tarde  
Blogger MDeus said...

Ora Srª Dª Lua, Lua Feiticeira, seja muito benvinda a este seu espaço, como mulher quero-lhe agradecer o elogio, concordo consigo em tudo o que diz acerca Mulher. Volte sempre que tenho gostado de ler os seus comentários e já agora só não respondeu ao desafio, como será que se vestia a Lua...??? Lua cheia...a Minguante, Lua nova...a crescente. Lua vaidosa, falsa e mentirosa. Gostava muito de saber a opinião da!! Lua!!

3/23/2006 5:35 da tarde  
Blogger Paulo J. Ribeiro said...

Já não precisam de lua cheia... O sol, que tanto temiam, já não mete medo... Agora, feiticeiras, trabalham mesmo às claras...

3/23/2006 11:02 da tarde  
Blogger Caiê said...

A cultura celta tem uma enorme tradição ligada à feitiçaria, não exactamente da mesma maneira que a entendemos nós. ;) Os druídas e as feiticeiras celtas tinham uma profunda e quase intrínseca ligação com a natureza.

Gatos Pretos são os gatos de quem?! :)

3/24/2006 12:26 da manhã  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Armando querido... Esse post parece ter ocorrido aqui em minha ilha!!! Tanto que a chamam, de Ilha da Magia... Dizem que as bruxas andam soltas aqui e cruzam os ares até mesmo em pleno dia.
É engraço isso que contas. Ainda há aqui, benzedeiras e essas são também uma espécie de bruxas. Eu já escutei uma benzendo e não entendi uma só palavra do que ela dizia. Saí pensando que não devo ser bruxa, pois se fosse, certamente teria podia entender o palavreado...
Beijinhos a todos. Deixei resposta ao último comentári de MDeus, sobre o sarau com chá verde...

Beijinhos Armando e adoro ler teus posts!!!

3/24/2006 3:05 da manhã  
Blogger Fernando said...

Meu bom Armando. Gostei uma vez mais da tua prosa. É solta e temos a impressão de ouvir os personagens, ver os recantos e sentir os ambientes. Será bruxaria?
A propósito, quero pedir-te desculpa por te ter obrigado a mandares a tua vassoura para o caminho,para eu retirar a minha depois do maravilhoso serão em tua casa. Foi isotérico como mandam as regras da boa amizade. Esotérico tambem e profano, religioso, igualmente ateu e até cientifico. Cientifico pois! A história da cerveja Sagres tambem conta.
Só perdeu quem não esteve lá, usufruindo da excelencia anfitriã da Maria. Havemos de repetir, porque ficou muito por dizer e escutar, não é verdade Luis?

3/24/2006 1:12 da tarde  
Blogger Desambientado said...

Será certamente um momento único. Viva o Teatro. Que se comemore condignamente i Dia Mundial do Teatro.

3/25/2006 9:17 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home