Máquina do Tempo

domingo, março 5

ESTA ILHA ESTÁ MAIS PERTO DO CÉU


Lá ao longe...avê Marias, os cânticos perdem-se com os chocalhos do gado em pastorio e chilreado de pássaros na sua dança de amor...cheia de graaaça, ooo senhor é convooosco, benditaaaa sois vós eeentre as mulheres...parámos o carro, tira lá umas fotos, disse eu abraçado a uma gripe que teima em não divorciar-se de mim...Um lenço na cabeça protege do sol e da chuva, um xaile sobre os ombros para aconchegar o corpo, às costas uma saca de pano, o bordão ampara, na mão o rosário que sela o pacto com a ilha feito pelos homens e Nossa Senhora, "que a Terra não trema...Oh Virgem imaculada tende piedade de nós, oh Mãe Santíssima acolhei as nossas súplicas..."
A noite caía no vale e a missa era dita na Igreja das Sete Cidades, "a magia acontece sempre por essas horas", bordões largados à porta da Igreja, mais uma de tantas, a rezar em promessa feita ano após ano, "enquanto Nossa Senhora me der força", mas esta Igreja é especial, não se sabe bem porquê, as lágrimas caem sem a gente sentir, "eh senhor, eu até nem sou homem de chorar..."
Nesta terra fazemos pactos com Deus e Nossa Senhora, nesta terra a Natureza e o Espírito Santo é que ditam leis, nesta terra as pessoas são feitas de lava e de maresia...Esta ilha está mais perto do Céu.

Texto de Armando Moreira

Fotos de MariaMoreira

16 Comments:

Blogger Desambientado said...

A ilha estará mais perto do Céu, quando os Homens estiverem mais perto de Deus: de Deus paz, de Deus Amor, de Deus Simples.

3/05/2006 5:24 da tarde  
Blogger Desambientado said...

Estas fotos estão fantásticas.

3/05/2006 5:25 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

No principio eram os vulcões e os sismos que ditavam as Romarias, em busca de uma tranquilidade da terra sobre a qual construiram as suas vidas. Depois..., depois passou a ser pelas dificuldades pela qual cada um passa, vemos as caras mas não as conseguimos associar ao sofrimento que está em cada passada, em cada conta do Rosário cantada pelas estradas desta ilha. Por tudo isto, penso que os Homens estarão sempre mais perto do céu, que propriamente esta ilha no meio deste vasto oceano.

Ruy Pacheco

3/05/2006 8:27 da tarde  
Blogger Armando Moreira said...

Desambientado...a Ilha era madrasta e até aos dias de hoje nos faz lembrar que somos apenas hospedes de passagem nesta terra das sete dioceses. Esta foi uma passagem de uma reconstituição histórica feita por nós e é com ela que lhe agadeço as visitas e retribuo em admiração ao seu fascinante blog.
Um abraço Amoreira

3/05/2006 8:34 da tarde  
Blogger Armando Moreira said...

Pois é Rui, pintamos vulcões pintamos rostos e pintamos a ilha, esta ilha onde na manhã de 1944 pisou a primeira àlma de muitas que lhe haviam de seguir...pintar Amigo é perpetuar estas memórias e eu tenho tido muita honra em te ter tido como meu aluno e amigo....o teu texto demonstra o profundo conhecimento que tens da tradição.
Um abraço Amoreira

3/05/2006 8:41 da tarde  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Vivo em uma ilha e que também foi colonizada por açorianos, mas pelo qiue tenho visto, nessa ilha aqui, muitas coisas dos costumes e tradição, se acabaram. Estamos colados ao continente e hoje em dia a ilha pulsa de modo muito diferente. Vivo em um lugar da ilha, onde ainda exitem muitos engenhos de farinha e do tempo da colonização. Eu mesma tenho um. O lugar tem carros de bois e n~so é uma colônia de pescadores que vive com exclusividade, das farturas do mar, pois nossa prai é de mar de tombo e muitos pescadores não sabem nadar. Portanto aqui, nesse lugar, os nativos - que é como eles se entitulam - já são em números reduzidos. Já vivo aqui nesse distrito e que é muito perto do centro da cidade, a uns bons 17 anos e até bem pouco tempo atrás, podíamos ver pela estrada principal, romarias feito essa que mostras nas fotos... Me surpreendi ao abrir teu blog para deixar meus votos de uma boa semana e ver essas cenas. A perda ou mudança nos Mitos e Ritos, são mesmo sinais de que há de se ficar mais atentos. Aí, ao que me parece, o tempo passa com mais tranquilidade. Aqui ele tem andado com uma certa pressa...

Beijinhos a todos voces com meus votos de uma linda semana!!!

ò,ó

3/05/2006 9:40 da tarde  
Blogger MDeus said...

Minha querida amiga as romarias são uma tradição antiga, deram inicio a elas por causa dos tremores de terra, uma espécie de promessa, depois continuaram como promessas pela vida dificil de cada um...os Ranchos de Romeiros como são chamados cá há poucos anos estavam a diminuir, neste momento esta tradição mantém-se e por muitos anos penso porque de ano para ano nota-se um aumento no número de participantes nos Ranchos.

Uma excelente semana para ti!! Beijinhos!!

:)

Maria de Deus

3/05/2006 10:49 da tarde  
Blogger Fátima Silva said...

Quero agradecer à mdeus pela visita ao meu blog e da possibilidade que me deu em estar aqui.
As fotos são maravilhosas e o texto um manso murmúrio de quem peregrina.
Já vivi na vossa ilha alguns anos e o som dos cânticos e das orações dos romeiros em peregrinação sempre me fascinaram.
Adorei este blog! Parabéns!

3/05/2006 11:25 da tarde  
Blogger island said...

Que bom revisitar de longe estes lugares. Daqui ouço nestes dias os cânticos solenes dos romeiros pelas canadas da minha querida ilha.
Um abraço daqui onde o céu se espande pela planície branca para tocar no Atl6antico este mar que embala estas ilhas soltas.
Beijinhos

3/06/2006 2:03 da manhã  
Anonymous soslayo said...

Mdeus, esta ilha não está mais perto do céu! Ela é o Céu sempre que o homem faça por isso...

3/06/2006 4:45 da tarde  
Blogger Nina said...

Que saudades tenho dos Açores :(

Nunca assisti a nenhuma romaria mas acredito k seja bastante emocionante :)

Beijinhos :)

3/06/2006 6:15 da tarde  
Blogger Fernando said...

Maria. Grande Maria. Se o bom fotógrafo é aquele "que sabe ver", tu não és apenas uma boa fotógrafa. Soubestes dar a essência da romaria com quatro pinceladas. Influências do Armando, a quem cumprimento pelo texto.
Acabo de chegar à nossa Ilha e depois do gêlo europeu, sabe bem sentir a luz deste nosso sol e o calor deste blog, que cresceu e com gente tão entusiasmante.
Depois de ter recitado Lamartine na lingua de Molière, vai-me tambèm saber bem, voltar à lingua de Camões, pela pena do Armando.
-Dá-me a deixa Amélia, porque é a minha vez.
-"Tudo existe para que eu viva. Nos teus olhos côr da Lua, vejo o que o destino ordena. Ribeiro de águas enlouquecidas, qual gota que se arrasta e bate contra a terra submissa"
( Foi sem consultar o guião! Juro!)

3/06/2006 8:40 da tarde  
Blogger MDeus said...

Benvindo a casa Fernando, já tínhamos saudades...
Acredito em ti, já tens este texto práticamente decorado e é tão bonito!!!

Beijinhos e até logo,

3/07/2006 9:36 da manhã  
Blogger Helena Ferreira said...

Olá Fernando! Bem- vindo! Isso aqui não é o mesmo sem ti :)

3/07/2006 1:52 da tarde  
Anonymous Castor Ranhoso said...

Das Nove Ilhas do arquipélago privilegiado dos Açores eu só conheço 5 (S.Miguel, Santa Maria, Faial, Pico e São Jorge. Aterrei uma vez na Terceira, em escala mas nunca mais voltei. Vi-a de longe, do Pico, como vi a Graciosa de São Jorge. Quando me perguntam qual a que mais gostei, respondo: - Se tivesse 9 filhos/as, de qual gostaria mais?
Quando puder vou visitar e fotografar as que me faltam.
Cada uma delas tem o seu encanto próprio. Um destes dias colocarei algumas fotos. Obrigado pelas suas palavras... e que bom é viver onde a mdeus vive!

3/07/2006 6:13 da tarde  
Blogger MDeus said...

Castor não tenho dúvidas, eu vivo num paraíso que um dia me acolheu. Fico à espera que venha conhecer o resto das ilhas com passagem por S.Miguel, de certeza que irá gostar das que faltam.

Um abraço.

3/07/2006 10:59 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home