Máquina do Tempo

sexta-feira, março 17


Caros amigos, por insistência do Armando e Maria(gajos chatos HaHaHa) estou a coclocar este "Post", já estou há 45minutos nisto mas enfim...(hahaha).Bem, hoje de manhã, acordei com o som caractrístico que a chuva faz quando "bate" no telhado (foi mais pelo som do despertador mas pronto...hahaha) e senti algo diferente, sim, senti saudade das "pedras negras...das minhas gentes...da minha ilha...da minha terra", por isso, dedico este Post à "pérola negra"e a todas as pessoas, mas em especial aos que também estão separados, e sabem o peso da palavra SAUDADE.

Pode escrever-se um poema com basalto
com pedra negra e vinha sobre a lava
com incenso mistérios criptomérias
e um grande Pico dentro da palavra.

Ou talvez com gaivotas e cigarros
cigarras do silêncio que se trilha
sílaba a sílaba até ao poema que está escrito
lá em cima no Pico sobre a ilha.

12/04/97 Manuel Alegre

5 Comments:

Blogger MDeus said...

Gostei, gostei imenso da foto está como a tua terra merece, imponente e linda.
Entraste em grande, agora não te esqueças como se faz ahahah...
Beijinhos

3/17/2006 5:57 da tarde  
Blogger Helena Ferreira said...

"A palavra 'Saudade'
quem será que a inventou?
O primeiro que a disse
Concerteza que chorou...

Ausência tem uma filha
que se chama Saudade.
Eu sustento mãe e filha
bem contra a minha vontade.

A Saudade é um luto
É uma dor uma aflição
É um cortinado roxo
Que me cobre o coração.

Fui chorar saudades
ao portão do meu jardim
Uma rosa respondeu-me:
- Elas não morrem assim..."

Beijos*

3/17/2006 6:25 da tarde  
Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Não sei que és Bruno, mas gostei do modo como dizes o que sentes.

Beijinhos e afagos para amenizar tuas saudades.

ò,ó

3/17/2006 10:20 da tarde  
Blogger Fernando said...

Bruno!? És mesmo tu?
Homem, valeu a pena a falta de luz!A "Lenda" perdeu um ensaio, mas o Blog ganhou a tua participação. (Levastes tanto nas orelhas que tinhas que ceder)
Obrigado por nos teres trazido o teu Pico do qual também tenho saudades. Eu que sou um continental de coração açoriano, acho que tenho Pico nas veias. (Será do verdelho?).

Entro pela Madalena e já sinto a maresia das Lajes. Tenho um pé em S. Roque e penso em S. Mateus.

Lancha do Faial
Podes partir sem mim
Eu fico!
Quero quedar-me...
No Pico.

3/17/2006 11:17 da tarde  
Blogger Palitcha said...

Muito bem miguinho...adorei...vê-se que fizeste com sentimento.
Bjkas

3/24/2006 11:50 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home