Máquina do Tempo

quarta-feira, fevereiro 8

Descobrimo-nos mutuamente

Para cá do espelho - testemunha perturbadora - estamos nós, ou o que de nós resta, subtraída a personalidade própria, para dar lugar ao perfil do personagem, que o Mestre nos quer impôr.
Rebuscadas sabe-se lá em que delírios criativos, “aquelas coisas” assombram-nos, assustam-nos. Como falará o vento? Qual será o estado de espírito de um nevoeiro, que oculta dramas que ele próprio testemunha, mas que teima em não contar. Aquela Lua apaixonada apenas pelo seu próprio reflexo nas lagoas, tão cheias já de tanta lágrima da princesa e do pastor, sim, da princesa e do pastor.
- Mestre, se às vezes não entendamos como vais, sabemos para onde vais e queremos ir contigo. Sabemos que tens um sonho tão elevado quanto o nosso e isso basta. Ensaiemos pois, uma, dez, cem mil vezes, com a certeza de estarmos não só a cumprir o papel, mas sobretudo a descobrirnos mutuamente.

Espírito do Lago Verde

7 Comments:

Anonymous MDeus said...

Bem vindo "Espirito do Lago Verde", tou a ver que não conseguiste registares-te, passa-se qualquer coisa com a adição de novos membros. Mas o que importa é que chegaste cá e da melhor maneira, com um texto lindíssimo, o "Mestre" ficou emocionado...
Amanhã falamos noutra forma de te registares.

2/08/2006 8:15 da tarde  
Blogger Máquina do Tempo said...

olá Espirito do Lago verde, estava eu ontem a dar a minha habitual aula de pintura, quando me chamaram a atenção para o teu comentário...emocionou-me confesso, às vezes penso ser eu a sonhar sozinho com esta maluqueira que é a Lenda da Princesa e do Pastor, mas o teu comentário deu-me a certeza de ter à minha volta um grupo de excelentes actores, pessoas maravilhosas, capazes de ir em frente com as minhas teatrices mesmo numa faze em que ainda não as entedem, e quando assim é eu só tenho que me sentir honrado porque para além do palco sei que são todos meus amigos...batam-se as pancadas de moliere, abra-se o pano, luzes. minhas Senhoras e meus senhores...A Máquina do Tempo...
Arrmando Moreira (encenador)

2/09/2006 9:04 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Ah Amélia...Amélia."oh mulher às vezes eu não te compreendo.."hahaha...

2/10/2006 12:32 da manhã  
Blogger MDeus said...

Oh anónimo...O Espirito do Largo Verde não é a Amélia, mas sim o Fernando. A Amélia ainda não tem internet."Lava incandescente...cinza abrasadora...ahahahah.

2/10/2006 9:26 da manhã  
Blogger Fernando said...

Anonymous? Estou confuso!
Quem se deixa tentar pela moita do anonimato,tem defeito físico, ou sexo mal defenido. É contudo dos nossos (tenho a certeza)pois conhece bem a Amélia e a sua sensibilidade.
Amélia, querida Amélia, quero cantar-te ao ouvido:

Eu vi a Amélia
no arvoredo
tão pequenina
cheia de medo

Anda comigo
Amélia vem
que eu estou sózinho
não tenho ninguem

2/12/2006 8:41 da tarde  
Blogger Helena Ferreira said...

"Fernando abre-me a porta/ que eu estou com os pés na geada/ se não me abres a porta/ eu vou ficar constipada!..." E a porta não se abriu mesmo... :p Ah, grande Fernando!...

2/13/2006 4:14 da tarde  
Blogger Fernando said...

Não me atormentes Helena
queria dizer-to a cantar
sempre que te sinto à porta
penso que estou a sonhar

Ficastes com o gato ao relento
ficastes rouca a gritar
deixaste-me a alma em tormento
e sem a poder emendar

Ah Helena da voz doce
diz-me o que posso fazer
quero apenas compensar-te
e sem ter que te aquecer

Volta a bater-me à porta
desta vez sem alarido
traz o trabalho de casa
e o texto bem sabido!

2/13/2006 7:28 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home